+ POR PALAVRA
+ POR ÁREA DO CONHECIMENTO
+ POR PESQUISADOR
+ POR INSTITUIÇÃO

Facebook
Untitled Document


Você pode ouvir os arquivos de áudio num pop-up clicando em "ouvir" ou salva-los no seu computador clicando com o botão direito em mp3 e escolhendo a opção "salvar como...".
 
Lívia Maria Andaló Tenuta
Estudo analisa a biodisponibilidade do flúor presente em cremes dentais

Ciências da Saúde; Odontologia; Odontopediatria.

PUBLICADO EM 05.11.2013
 
OLÁ! EU SOU LÍVIA TENUTA, PROFESSORA NA FACULDADE DE ODONTOLOGIA DA UNICAMP, EM PIRACICABA. TRABALHEI EM UMA PESQUISA SOBRE BIODISPONIBILIDADE DO FLÚOR EM CREME DENTAL, AVALIANDO A POSSIBILIDADE DE SER ABSORVIDO QUANDO INGERIDO. PARA ISSO, TESTEI DOIS TIPOS DE CREME DENTAL: UM COM TODO O FLÚOR NA FORMA SOLÚVEL E OUTRO COM FLÚOR SOLÚVEL E INSOLÚVEL JUNTO. ESSES CREMES PASSARAM POR UM PROCESSO DE ENVELHECIMENTO, FORAM DISSOLVIDOS EM ÁGUA E INGERIDOS POR VOLUNTÁRIOS. COLETAMOS A SALIVA DOS VOLUNTÁRIOS DURANTE 3 HORAS PARA AVALIAR A CAPACIDADE DO FLÚOR DE SER ABSORVIDO NO ESTÔMAGO E DE RETORNAR A BOCA PELA SALIVA. TAMBÉM COLETAMOS URINA DOS VOLUNTÁRIOS PARA AVALIAR A EXCREÇÃO DO FLÚOR. ASSIM, PUDEMOS CONFIRMAR A FRAÇÃO DO CREME DENTAL QUE É BIODISPONÍVEL, OU SEJA, ABSORVÍVEL. O RESULTADO CONFIRMOU QUE SÓ O FLUOR SOLÚVEL PODE SER ABSORVIDO, JÁ QUE A ABSORÇÃO DIMINUIU COM O AUMENTO DA FRAÇÃO INSOLÚVEL NOS CREMES DENTAIS. NA PRÁTICA, UM CREME DENTAL PRECISA DE FLÚOR SOLÚVEL PARA TER EFEITO ANTICÁRIE. ASSIM, DEMONSTRAMOS QUE CREMES COM MAIOR CONCENTRAÇÃO DE FLÚOR POSSUEM A MESMA BIODISPONIBILIDADE QUE CREMES COM CONCENTRAÇÃO MENOR, DESDE QUE AMBOS TENHAM A MESMA CONCENTRAÇÃO DE FLÚOR SOLÚVEL. NESSA PESQUISA, TIVE A COLABORAÇÃO DA MESTRANDA AMANDA FALCÃO E DO CO-ORIENTADOR PROF. DR. JAIME CURY.
Podcast produzido por Marina Rufo Spada
Professora Associada, Área de Bioquímica, Faculdade de Odontologia de Piracicaba, UNICAMP. Graduou-se em Odontologia pela Faculdade de Odontologia de Bauru - USP (1997) e obteve o título de mestre em Odontologia (Odontopediatria) na mesma instituição (2001). Realizou o doutorado em Odontologia (Cariologia) na Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP (2005), onde também desenvolveu seu pós-doutoramento (2007). Tem experiência na área de Odontopediatria e Cariologia, atuando atualmente em pesquisas na área de biofilme dental cariogênico e composição do fluido do biofilme. Ex-presidente do Grupo de Cariologia da IADR e atual membro do Board da ORCA (European Organisation for Caries Research).